PUBLICAÇÃO

NT Expo & Intermodal

Em 1808 o Brasil abria as portas para o mundo, a abertura de nossos portos as nações amigas, muda as condições de desenvolvimento da colônia. Geramos empregos, geramos negócios, geramos o intercambio entre nações. A partir daí nosso País cresce, se torna independente, mas a falta de uma logística voltada para a mobilidade, sempre limitou nossa capacidade de crescimento. Vivemos na trava, e no sonho de um dia ser um grande País, sabemos os motivos da trava, mas temos sempre a frustração de nunca ter conseguido superar barreiras.

2019 uma revolução é prometida, através dos trilhos podemos integrar nossa nação continental, porem mais uma vez editais inconstitucionais frustram o sonho de todos. Podemos ficar calados, e teremos de esperar mais 40 anos para finalmente fazer algo? Ou vamos continuar a lutar pra que o desejo de todos vire realidade?
Estive na Intermodal, e NT Expo, as duas feiras foram realizadas juntas, e conversando com profissionais do setor de logística, percebi que o sonho é o mesmo, está mais do que na hora de usar os trilhos para abrir o interior a indústria nacional. Hoje 25% da população mundial consome comida brasileira, se próximo as capitais, falta emprego, onde se estabeleceu o agronegócio, sobra trabalho e renda. E este povo, ou compra quinquilharias da China, ou guarda o dinheiro, o E-commerce que representaria a indústria nacional, apesar de toda a propaganda, mal entrega no interior.

Começamos, uma campanha, um lobby, para provar a necessidade do trem para baixar o custo Brasil, e como gerador de novas oportunidades à indústria brasileira. O trem não será só um transporte das massas, será um fator decisivo para a retomada do crescimento. Está na hora de transformar nossas ferrovias no instrumento da mudança, que o brasileiro tanto sonha.

A partir de hoje todos os vídeos que tem a produção do “Rio de Volta aos Trilhos”, trarão em seu final uma mensagem de esperança pela volta dos trens. Esse será nosso lobby, é a nossa luta, garantir o direito de passagem para tudo e para todos, nas ferrovias do Brasil. O direito de passagem está garantido pelo art. 6 da Lei Federal 1832/96, e infelizmente esta Lei não foi cumprida pelos governos de FHC, que assinou a Lei, de Lula, de Dilma e de Temer, trazendo para o governo Bolsonaro a responsabilidade de cumprir esta Lei, por isso somos contra o edital da Ferrovia Norte Sul, que não aplica esta Lei, e na verdade garante exclusividade do concessionário. Lembrando que a média de ocupação das ferrovias arrendadas é de 17%, ou seja, muito baixo, e travando a ferrovia de ser um polo de desenvolvimento.

Para as empresas que por força de Lei, arcam com 94% da passagem do trabalhador, isto eleva o custo do emprego para algo em torno de 30% dos proventos pagos, é a maior parcela do custo Brasil, o transporte do trabalhador. IR 27,5%, INSS 22%. Para diminuir este custo é preciso dar passagem ao trem de passageiros, com exclusividade das 05:00 às 08:00 depois voltaria a passar o trem de carga, depois das 11:00 às 13:00 para os estudantes, com a volta da carga até as 17:00 indo exclusivo até as 20:00, e um último trem entre 22:30 e 23:00 horas para a volta dos universitários, este ultimo circularia entre os trens de carga tendo a prioridade de passagem. Isso resolve o custo do trabalhador, e se entre estes horários da carga ainda pudesse circular um trem distribuindo os pedidos do E-commerce, e fazendo a distribuição para as lojas do interior, a indústria nacional também lucraria baixando o custo nos transportes de sua produção. Mas exclusivo para a exportação, ocupando 17% da malha ferroviária, a trava do desenvolvimento continuará eterna.

Para completar este quadro, vivemos em época de transformação, o emprego muda de face, o trabalhador vai começar sua vida em um tipo de trabalho e terminará sua vida produtiva em outro tipo de trabalho, a automação toma conta do emprego, as chances de se conseguir um emprego estão se igualando as chances de se ganhar na loteria. Estivemos em 3 setores de logística, e começamos as entrevistas com o grupo Kion que tem sua base no transporte interno dentro dos galpões logísticos.

Depois fomos ouvir o grupo GLP especialista na construção de galpões.

E por fim comparecemos a uma palestra, onde o grupo Tora, especializado no transporte da carga entre cidades, apresentaram seu plano de digitalização da empresa. Buscamos também as empresas que arrendaram a malha ferroviária brasileira, a MRS, e a FCA/VLI, mas ambas se recusaram a dar entrevistas.

A MRS distribuía um folder, onde anunciava que fez uma parceria com a Tora, e as cargas entre Rio e São Paulo seriam feitas por trem, ao invés do caminhão, voltei a procurar o pessoal da Tora que informou que maiores detalhes sobre este acordo, só pode ser oferecido pela MRS, que falou que só fornecerá detalhes por e-mail. Tudo muito estranho, um investimento muito alto na digitalização para o setor de caminhão, para transportar as cargas por trem, acho que é uma possível saída em caso de greve dos caminhoneiros.

Então fomos ao stand da Marcopolo uma empresa especialista em carroceria de ônibus, que está agora fabricando vagões para trens de passageiros, com uma grande visão de futuro.

Para terminar uma entrevista com Marcos Maher, sobre seguros, todos nós precisamos viver seguramente, até a segurança jurídica que um edital pode oferecer, está no seu texto respeitar as Leis vigentes, e infelizmente não é o caso do edital da Ferrovia Norte Sul. Isto explica porque empresas estrangeiras se afastaram do edital.

Obs. 1 - Estou em campanha para aumentar minhas inscrições no Youtube o problema todo está que no início eu não ligava para isso, achava que ia te encher o saco pedindo para se inscrever, mas hoje dentro do Youtube, eu preciso disto para ter destaques. No geral, tenho um excelente número de visualizações, de tempo das pessoas assistindo os vídeos, de compartilhamento, das pessoas que marcam gostei, agora de comentários um número razoável, mas de inscritos, um número inexpressivo. Então o jeito foi fazer esta campanha, e se você também precisar avise, que me inscrevo em seu canal. Para se inscrever basta ter uma conta no Gmail. Muito obrigado. https://youtube.com/user/revistaamigosweb

2 – Em dezembro do ano passado criei um grupo no Facebook com o nome Rio de Volta aos Trilhos, com o objetivo de publicar ali algumas notícias ferroviárias, de outros sites, e da grande mídia, que não posso publicar em nosso site. Só que por causa de uma gripe estranha, não fiz a campanha desejada. Convido a todos se quiserem a entrar no grupo, ali vocês poderão acompanhar tudo a que se refere ao mundo ferroviário, com as notícias em geral. https://web.facebook.com/groups/2105320353112313/

3 - Esta semana ao mostrar o site em um grupo de zap, teve gente que estranhou o fato do site não estar pronto, e achar que o Rio de Volta aos Trilhos era uma iniciativa exclusiva. O Rio de Janeiro tem cerca de uns 20 movimentos sociais de apoio ao trem, na criação do site conversei com 12, e bastaram 5 assinarem para eu colocar o Fórum Rio de Volta aos Trilhos em um site, como falei acima, uma estranha gripe que ainda não foi embora, me impediu de fazer o trabalho desejado no verão, mas aos poucos tudo vai ficar em dia. Conheça: riodevoltaaostrilhos.org e institutoamigosdaweb.org

Carlos Senna Jr.
MTB 32447/RJ
carlossennajrjornalista@gmail.com
Matéria originalmente escrita para o site Rio de Volta aos Trilhos

22/07/2019 07:28

Deixe seu comentario:

R.A.W. - Portal de Notícias Revista Amigos da Web.
Jornalismo independente da política à cultura, em vídeos, fotos, e artigos. A mídia de tudo, para todos.

© 2007 - 2017 Todos os direitos reservados. Design by: Realidade Virtual