PUBLICAÇÃO

No País do faz de conta

Parece que existem dois Brasis no Brasil, um ocupado pelos políticos, e outro onde o povo vive. Esta distância é algo que interessa aos políticos, pois este abismo serve como parte do plano de manter toda esta turma no poder.

Começamos por Brasília, na crise, eles realizaram um minirreforma eleitoral, parecia que iam atender os anseios do povo. Acabou a reeleição, mas continua valendo até 2020. Acabaram com as coligações políticas, mas continua valendo até 2020. Em vez das doações de empresários, foi criado um fundo de campanha, que eticamente, deveria ser distribuído de forma igualitária para todos os candidatos, mas só quem tem mandato recebeu, e os novos que se virem. E depois das reclamações, alguém vai mudar tudo, fim do uso do dinheiro público, e volta das doações de empresários. E neste ponto a corrupção continua, ah! Nesta fase sem dinheiro empresarial, prometeram acabar com o horário eleitoral gratuito, para usar no fundo de campanha, mas continua valendo até 2020. E as pesquisas, estavam proibidas de serem divulgadas um mês antes das eleições, mas isso só em 2020. Quer dizer nada mudou, e estas eleições não vão atender aos anseios do povo, depois se esquece, e tudo continua na mesma, na verdade vão conseguir enganar o povo, de novo.

A campanha na rua está xoxa, sem graça, o povo nem aí para as bandeiras, e os panfletos, então vamos a polarização, com um belo empurrão das pesquisas, que estranhamente não registra esta apatia popular, o número de indecisos cai, mas se distribui, estranhamente, de forma equitativa a todos os candidatos. O que sobra, teremos deputados eleitos por quem vende seu voto, a sonhada renovação, não vai acontecer já, porque o povo mal conhece as opções dos novos pretendentes. Muito pouco tempo de campanha para se conseguir um corpo a corpo eficiente.

E a campanha na TV o Meireles sabe criar 10 milhões de empregos, mas há alguns meses atrás, ele fazia parte do governo, e não criou emprego algum, quer dizer, só na promessa de campanha é que ele sabe criar empregos. O Alckmin aparece como opção, de quem não quer, a direita, ou a esquerda, mas foi pego junto com a esquerda, em casos de corrupção, e foi só deixar o governo, para perder a imunidade, para ser processado por corrupção. Continua estacionado nas pesquisas.

O Ciro apesar de ter tempo de TV, é uma constante desde o início, não sobe e nem desce, sem falar que limpar o nome de mais de 60 milhões de brasileiros, é uma conta difícil de fechar.

Marina, a eterna candidata, está usando de tudo em sua campanha, uma matéria hoje na TV, e a tarde, já declara como uma ideia sua, mas se um dia a esquerda sobe, ela cai na mesma proporção.

Temos dois candidatos com propostas excelentes, mas que respeitando os prazos de campanha, só saíram as ruas no tempo certo, além de terem muito pouco tempo de TV, resultado são desconhecidos pelo povo. Álvaro Dias e João Amoedo, parecem que irão morrer na praia, apesar de terem bons projetos, e serem grandes opções de voto.

Tem o Bolsonaro, que sofreu um estranho atentado, pois até maluco sabe que um revolver automático seria a garantia de serviço perfeito, agora a faca? e os seguranças reagindo a bala, levaria o povo a refletir sobre um louco de faca sendo massacrado pela violência desmedida da segurança do candidato. Duas coisas deram errado, o maluco conseguiu dar a facada, mas não matou, e a segurança, não o matou, deu voz de prisão a ele. E com isso, a ideia de melar as eleições, por causa da violência na campanha, foi por água abaixo.

O Haddad promete a volta do império da felicidade. Império da Felicidade era o nome que eu dava a propaganda oficial, embora o povo parecia acreditar neste País do faz de conta, como agora falam sobre a possibilidade de felicidade eterna, mas o site O Antagonista vem publicando os verdadeiros planos do PT para o futuro do Brasil. No passado o escândalo do mensalão, a promessa de campanha da PEC 300, que até hoje não foi cumprida, o fracasso do novo Enem, e etc... Sobre o novo Enem eu trago um vídeo da época, o novo Enem só veio parar de ter problemas, dois anos depois, quando o Haddad deixou o ministério da educação. E embaixo coloco outro vídeo da época, do povo contra a corrupção, era a batata do PT que começava a assar.  

 

Estamos na última semana de campanha ninguém sabe em quem a maioria silenciosa vai votar, mas aos poucos os institutos de pesquisa vêm trazendo os números do Bolsonaro para mais perto da realidade. Para não errarem feio no domingo.

No domingo devemos criar uma apuração paralela, ao final da votação cada zona eleitoral tem de colocar em local visível um borderô com o resultado das urnas, é na transmissão destes dados que surge a fraude, então cada um vai votar próximo as 17 horas espera o borderô ser publicado fotografa com o celular e envia para algumas universidades que farão uma apuração paralela.

Sobre a corrida para governador no Rio, parece que teremos uma final nunca imaginada, depois de cassarem o Garotinho, chega a vez do outro concorrente com liminar, ter seu destino definido. Eduardo Paes pode nem concorrer, no segundo turno, depende do julgamento de seu caso, já que disputa por força de uma liminar.

Carlos Senna Jr

MTB 32447/RJ

carlossennajrjornalista@gmail.com

04/10/2018 10:54

Deixe seu comentario:

R.A.W. - Portal de Notícias Revista Amigos da Web.
Jornalismo independente da política à cultura, em vídeos, fotos, e artigos. A mídia de tudo, para todos.

© 2007 - 2017 Todos os direitos reservados. Design by: Realidade Virtual